Os usuários de banda larga fixa que se inscreveram para participar do programa de medição da qualidade do serviço devem fazer o teste de velocidade (speed test) de suas conexões, conforme orientações encaminhadas, por e-mail, pela Entidade Aferidora da Qualidade (EAQ). Esse teste – a segunda etapa do processo de seleção de voluntários – deve ser feito, obrigatoriamente, a partir de um computador ligado à internet por meio da conexão informada durante a inscrição. Não é possível, por exemplo, que o usuário se inscreva para medir a qualidade da banda larga de sua casa e tente fazer o speed testem seu local de trabalho: os dados não serão validados. Caso ainda não tenha recebido qualquer contato, o usuário deve verificar sua caixa de spam ou entrar em contato com a EAQ pelo e-mail suporte@brasilbandalarga.com.br.

Com a validação dos dados no speed test, o usuário é considerado apto a participar do projeto de medição da qualidade da banda larga fixa e, a partir daí, fará parte de um sorteio para a seleção dos voluntários que receberão o whitebox – aparelho que fará a medição. Quem não for escolhido agora, poderá ser sorteado em uma próxima etapa do projeto, já que, anualmente, haverá renovação de 25% da base de voluntários. Podem participar todos os usuários – pessoas físicas ou jurídicas – que tenham contrato de prestação de serviço de banda larga fixa em seu nome; apenas funcionários das empresas analisadas não poderão ser voluntários.

Não há data limite para o cadastro, que pode ser feito pelo portalwww.brasilbandalarga.com.br. O plano amostral elaborado pela Anatel distribui voluntários por Unidade da Federação, por prestadora e por faixa de velocidade contratada, de modo a verificar a qualidade do serviço prestado aos diferentes perfis de usuário. Em todo o País, serão selecionadas 12 mil pessoas. A partir dos resultados, a Agência reunirá informações para a adoção de medidas que permitam a progressiva melhoria do serviço.

Os selecionados pela EAQ não terão qualquer ônus para a instalação dos equipamentos e também não serão remunerados. Para participar do projeto, não são necessários conhecimentos avançados de informática: basta ligar o equipamento de medição ao modem ou ao roteador e deixá-lo funcionando. O equipamento não coleta qualquer informação pessoal, nem interfere ou monitora a navegação do usuário. Além de colaborar para a aferição da qualidade da banda larga, cada voluntário receberá relatório mensal com dados relativos à qualidade do serviço em sua residência ou empresa.

Entenda o processo

As medições da qualidade da banda larga serão feitas em cumprimento à Resolução 574/2011 da Anatel e os primeiros resultados devem ser divulgados pela Agência em dezembro deste ano. A metodologia e os procedimentos referentes às medições foram definidos pelo Grupo de Implantação de Processos de Aferição da Qualidade (GIPAQ), grupo de trabalho coordenado pela Anatel com participação de representantes das prestadoras, da Entidade Aferidora da Qualidade e de entidades convidadas, como o CGI.Br e o Inmetro. Serão monitorados indicadores como velocidades de upload e dedownload, latência, variação da latência (ou jitter) e perda de pacotes.

Artigos Relacionados
Leia mais em Todas as Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Veja também

Trabalhadores na Rede Conecta paralisam atividades em Teresina

Na manhã desta quarta-feira (17) os trabalhadores na empresa Rede Conecta, terceirizada da…